I made this widget at MyFlashFetish.com.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Site de torrents Mininova encerra atividades

        Não há nerd fã de séries e filmes internet afora que não conheça o site Mininova, conhecido pelo seu baita arquivo de torrents. Pois hoje no blog oficial foi anunciado o encerramento das atividades do site.

         Em agosto o Mininova já havia sido intimado a retirar do ar torrents que não faziam parte do Content Distribution, seção do site destinada a divulgar novos produtos e artistas. A ordem judicial partiu da Holanda: nos três meses seguintes, o site deveria remover todos os links de torrents ilegais. Encerrado o período, multas pesadas seriam aplicadas aos administradores do site.

        O prazo acabou e o serviço mais conhecido do Mininova [os downloads ilegais] sai do ar a partir desta quinta-feira.
No anúncio, os organizadores agradeceram o apoio dos visitantes e dizem que vão apelar da decisão.

       Nunca é demais lembrar que também o Pirate Bay passou por situação semelhante e mudou sua tecnologia.
***
      No blog Link os usuários discutem quais sites utilizam para downloads. Vale a visita.

Resultado da nossa enquete...

Fizemos a seguinte enquete :

Quais assuntos lhe chama mais atenção?

Atualidades - 70%

Moda - 30%

Mídia - 30%

Política -  20%

E vocês votaram em Atualidades - com 70% dos votos.

Obrigada a todos que participaram da nossa enquete.
        Conforme descrevemos no blog, iremos focar em assuntos relacionados ao publico jovem e adulto.  
      De acordo com o resultado da nossa enquete, iremos focar principamente nas atualidades para esse público.
     Segue outra enquete bem legal, votem e contribuam para melhoria do Sapecas day. 
 

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Jeans & Rock = Damyller & Rolling Stone - Uma promoção Rock'n Roll




Foto: Acervo Damyller

          A Rolling Stone é uma revista especializada em rock'n roll, música pop e movimentos culturais ligados ao público jovem e moderno. A revista foi fundada em 1967, nos Estados Unidos, e hoje é editada em mais de 15 países, dentre eles o Brasil. A edição brasileira da Rolling Stone existe desde 2006. Já são 3 anos de muito sucesso, comemorados com uma super festa no dia 22 de outubro, no Bourbon Street em São Paulo.
       E sabe o que os convidados dessa comemoração levaram para casa como um presente especial da Rolling Stone? Uma bolsa descoladérrima, toda em jeans, estampada com todas as capas da edição brasileira da revista. Não preciso nem dizer quem foi a responsável por produzir as desejadas bolsas: para uma revista especializada em rock, nada melhor que bolsas personalizadas produzidas por quem é especializado em jeans! Afinal, jeans e rock'n roll tem tudo a ver né...
       Mas o mais legal disso tudo é que essa parceria ainda não acabou!
Você também vai poder ter a bolsa que as celebridades que participaram da festa de aniversário da Rolling Stone levaram para casa. Acha pouco uma bolsa? Pois tem mais!!!
Uma bolsa Rolling Stone/Damyller + assinatura de 1 ano da Revista Rolling Stone, tá bom assim?!
Quer ganhar esse presentão de Natal? Então ponha já a cabeça pra funcionar e bole uma frase respondendo a seguinte pergunta:
   Por que jeans e rock'n roll formam uma parceria de sucesso? 

       Vamos lá, pense numa frase bem legal e garanta já a sua assinatura da Rolling Stone e sua bolsa exclusivérrima! Podia ser melhor? Podia... E é: serão 3 ganhadores!!!
Isso mesmo: três pessoas ganharão! Cada uma vai faturar uma assinatura e uma bolsa.


È so acessar > http://www.dmylr.com.br/blog.php
Fonte: http://www.dmylr.com.br

Beyoncé ganha três prémios mas é criticada pela celulite


A cantora foi a grande vencedora da noite dos MTV Europe Music Awards mas em palco, mostrou que, tal como a maioria das mulheres, sofre da terrível celulite.



          As fotos, de tão reais, até causam estranheza. Beyoncé, a grande vencedora dos MTV Europe Music Awards( Melhor Artista Feminina, Melhor Canção e Melhor Vídeo), entregues na noite de quinta-feira em Berlim, subiu ao palco e durante o show, acabou por revelar mais do que se esperaria ao exibir as pernas com a típica «casca de laranja», que nunca se viu nos seu clips.

      Criticada por uns, que denunciam a má forma física da cantora, com apenas 28 anos; também se registam comentários pela internet de apoio a Beyoncé Knowles em solidariedade a um mal que afecta 95% das mulheres.


      Recorde-se que Beyoncé sempre assumiu, em várias entrevistas, a sua tendência para engordar e a preguiça para fazer ginástica. Ainda assim é certo que o tratamento privilegiado de imagem, que é feito nos clips e nas fotos de estúdio que realiza, mostram pernas de sonho, bem tonificadas e sem celulite.

Fonte:: Redacção Lux



Dia internacional da NÃO violência contra as mulheres



25 de novembro: dia internacional da NÃO violência contra as mulheres
Quem tem ou teve mãe, sabe a importância que as mulheres tem para o mundo.
Violência não leva a nada! O amor te leva pra qualquer lugar.

Pense nisso...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A dor


“A dor tem a capacidade de cortar nossas asas e nos impedir de voar”

Chapeuzinho como você nunca viu...

Muito engraçada essa versão que fizeram para o conto de "chapeuzinho vermelho" confiram!!! e ai aprovado???

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Diário vaticano critica "Lua Nova", a saga do filme Crepúsculo

Diário vaticano critica "Lua Nova", a saga do filme Crepúsculo












         ROMA, 23 Nov. 09 (ACI) .- O jornal L'Osservatore Romano (LOR) publicou em sua edição desta sexta-feira um artigo no qual critica a nova produção "Lua Nova (New Moon)", saga de "Crepúsculo", uma história que relata o triângulo amoroso entre um vampiro vegetariano, um lobisomem e uma adolescente solitária que não encaixa em seu ambiente.

       Esta segunda parte da saga mostra a protagonista Bela Swan, deprimida pela partida de seu noivo Edward Cullen, o vampiro, que a deixa para não colocar a vida de sua amada em perigo. Assim se aproxima de seu amigo Jacob Black, quem na realidade é um lobisomem.

       "Em Lua Nova –diz LOR– Bela acaba de cumprir 18 anos mas está cheia de cicatrizes não curadas, não só exteriores, é uma moça próxima aos lobisomens que vive em equilíbrio entre dois mundos e foi ferida por quem deveria tê-la protegido".
 

















        O jornal vaticano assinala que este filme "já gerou comentários de muitos (críticos profissionais e não profissionais, bloggers e outros) e a repetição até o cansaço do já foi dito e ouvido sobre o primeiro episódio: se trataria de pura propaganda moralmente perigosa, de um 'elogio à repressão sexual em si mesma', de uma espécie de anúncio cristão camuflado como best seller juvenil".

       Com esta tendência, diz o artigo, "terei que tirar o chapéu" para a autora Stephanie Meyers, quem escreveu a saga e "que foi capaz de dourar a pílula para encobrir o severo alerta obscurantista com alguns" clichês "para ir criando uma máquina de dinheiro que funciona à toda potência em todo o mundo".

       Depois de comentar o tratamento pouco claro da produção sobre a sexualidade, LOR descreve que no filme "existe uma zona escura, uma hostil ansiedade comum a todos os personagens principais, assim como o medo a serem divididos pelo tempo que passa (apenas para Bela, a protagonista, pois Edward, o vampiro, terá sempre 17 anos) e o terror de decepcionar a pessoa amada, de perdê-la para sempre ou de causar-lhe um mal irremediável, como sucedeu com o Romeu" de Shakespeare.













        Como em Crepúsculo, "a opção por fazer que os 'monstros' assim como os vampiros e os lobisomens falem é um eficaz instrumento expressivo fazendo que a própria pessoa esteja diante do enigma da liberdade e do misterioso impulso de morte que envenena a vida gerando violência, infelicidade e caos no mundo dos humanos, a 'ferida original' que todos têm dentro".

       É melhor, prossegue o artigo do LOR, "evitar chamar 'pecado' (seu aroma a incenso poderia alarmar aos laicistas) à 'ferida original' que pode ser traduzida como a sombra que envolve as relações de amizade ou amor, que transforma à chamada sociedade civil em uma instância de crueldade e ferocidade".

       Pode-se ver, ademais, "a facilidade com a que um afeto profundo ou inclusive uma relação de simples empatia se transforma em uma relação de poder, e o gosto amargo da 'espinhosa realidade', como escrevia Rimbaud, que se revela na contínua repetição do mecanismo de 'tensão para o cumprimento, desilusão, reação violenta'".

















      O texto assinala também que a "cada certo tempo o registro constantemente alto do roteiro faz tropeçar os diálogos em qualquer ingenuidade e não faltam algumas estupidezes e quedas da tensão, sobre tudo nas cenas rodadas na Itália, em Montepulciano (…) mas os intérpretes parecem convincentes (ao menos até agora) e irônicos inclusive fora do set: '75 por cento do mérito é dos cabelos', responde Robert Pattinson (Edward) ao ser perguntado pelo êxito planetário do bom vampiro, um pouco James Dean, um pouco ícone dark de quem vive na cidade mais chuvosa dos Estados Unidos".

     De outro lado, o perito em cinema do Pontifício Conselho para a Cultura, Dom Franco Perazzolo, assinalou que a esta produção constitui "um vazio mais perigoso que qualquer tipo de mensagem desviada".

"O gênero vampiresco combina uma série explosiva de imagens que sempre atrai às jovens gerações para os extremos, depois do qual se encontra o vazio", disse.



segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Estilo: O jeito de cada tribo

       Já se foi o tempo do roqueiro que só se vestia de preto e do gótico que não ouvia reggae. As tribos urbanas ainda estão aí, mas os jovens transitam sem problemas entre elas. "É como se surfassem umas nas outras", diz a psicóloga e pesquisadora de moda Cristiane Mesquita. "Eles se apropriam de elementos estéticos de algumas tribos, mas são raros os que seguem seus códigos a fundo." Uma tribo urbana é uma espécie de pacote de gosto musical, ídolos, roupas e acessórios.  
        É uma forma de sinalizar aos outros o que se é – ou não é nada disso. Pode ser simplesmente a expressão sem compromisso da preferência momentânea por uma moda ou por um artista pop. Quando saem para a balada, muitos jovens se vestem de acordo com a ocasião. A roqueira que usa roupa de couro durante seis dias da semana pode renascer clubber para uma festa a caráter no sábado. VEJA Jovens reuniu representantes das seis tribos urbanas mais numerosas do Brasil e pediu a eles que contassem como é seu estilo pessoal.



Fotos Marlos Bakker
Eclética
Luiza Zaidan Pereira Mendes, 17
Estudante do ensino médio
 
Seus estilos de música preferidos são hip hop, pop e samba. É fã da banda americana Lifehouse e da musa dos teens rebeldes Avril Lavigne
Gosta de ir ao cinema. Adorou Gangues de Nova York, À Espera de um Milagre e A Bela e a Fera
Teve um piercing na língua, mas já o tirou. Agora tem vontade de fazer uma tatuagem, porém ainda está indecisa
Suas roupas são básicas: jeans M.Officer, camiseta da Track & Field, Siberian e C&A e tênis Nike
Vai a poucas baladas, gosta mesmo é das festas na casa dos amigos
Não tem nenhum ídolo
O que sempre carrega na mochila da escola além do material: a carteira e chicletes


Surfista
Luigi Ucelli di Nemi, 17
Estudante do ensino médio
 
Seus sons preferidos são reggae, rock e rap. O cantor do momento para ele é o americano Ben Harper, considerado pelos fãs uma mistura moderna de Jimi Hendrix com Bob Marley
Sua prancha preferida é Bushman; a parafina da hora é Sticky Bumps. Para ele, o melhor calção para surfar é Quiksilver, com camiseta Oakley ou O'Neill. Roupa de borracha é da Rip Curl ou O'Neill
Surfa no Litoral Norte de São Paulo, mas sonha viajar para a Indonésia
Usa bermudas Gap e Volcom, camisetas de campeonatos de surfe e tênis Reef
Sua maior diversão é ficar batendo papo com os amigos na água, boiando em cima da prancha enquanto espera as ondas
Seu maior ídolo é Kelly Slater, surfista americano, seis vezes campeão mundial
Em sua mochila da escola vão cadernos, canetas, livros didáticos e um casaco


Clubber
Vanessa Cristina Vieira, 22
Consultora de moda
 
Seu som preferido é o tecno. É fã dos DJs Mau-Mau e do casal Ana & Davi, que tocam nos clubes de São Paulo. Adora festivais de música eletrônica e raves
Os cuidados com o visual incluem esmalte preto nas unhas e delineador preto da Avon, que também usa para fazer bolinhas nas pálpebras
Gosta do escritor Paulo Coelho e seu livro preferido é Veronika Decide Morrer
Tem uma tatuagem pequena nas costas e quatro piercings (na barriga, no nariz e nos mamilos)
Gosta de usar saia curta, coturno, camisetas coloridas. Como acessório, um colar do Exército americano feito de strass. As marcas preferidas são Reinaldo Lourenço, A Mulher do Padre e Sommer
Seu maior ídolo é DJ Rush, que mistura efeitos eletrônicos com música brasileira e The Beatles
Na bolsa vão cremes, óculos, CDs, documentos, celular, agenda, maquiagem e às vezes uma muda de roupa


Roqueira
Luíza Matsushita, 19
Estudante de design digital
 
Só ouve rock e hard rock. Curte desde os jurássicos australianos do AC/DC até as bandas mais recentes, como The Donnas, Turbonegro, Hellacopters, Backyard Babies
Maquia-se todos os dias antes de sair de casa. Passa muito lápis preto, muito blush, base, iluminador e brilho nos lábios
Gosta de cinema e é fã do filme Quase Famosos, de Cameron Crowe, sobre um adolescente escalado para cobrir uma turnê de uma banda de rock para a revista Rolling Stone. Mantém um fotolog com o pseudônimo de Lovefoxxx
Não gosta de livros, prefere revistas moderninhas, como a inglesa The Face
Sua roupa para a balada e para o dia-a-dia é a mesma. Calça jeans justa sem marca, camiseta com cara de antiga ou de banda, tênis de cano longo All Star, Reebok e Vans. Jaqueta em estilo tradicional
old school
Seu maior ídolo é Terry Richardson, fotógrafo que se denomina "rocktografer"
Tem sempre na bolsa uma garrafa de água, chiclete, porta-CDs de oncinha, discman, uma agenda pink e laranja, caderno, lapiseira e celular


Esportista
Eduardo de Souza Ramos Figueiredo, 16
Estudante do ensino médio
 
Curte MPB, reggae e rock. Ouve tanto a banda de surfe e skate music californiana Sublime quanto o pantaneiro Almir Sater
Sua maior paixão é pedalar. Tem uma bicicleta Aerotech e vai a todo canto com ela. Gosta de fazer mountain bike e é faixa marrom de caratê
Uma de suas poucas vaidades é tosar os cabelos com máquina
Seu uniforme para o dia-a-dia é composto de bermuda de tactel com logomarcas oficiais de campeonatos de surfe e ralis, tênis Timberland e camiseta Hering
Seus programas noturnos preferidos são jantar e cama. De vez em quando vai a um barzinho calmo ou a uma pizzaria
Seu maior ídolo é Michael Schumacher, campeão de Fórmula 1
Carrega sempre na mochila da escola livros, carteira e canivete suíço


Zeca Rodrigues
Hip Hop
Juliana Maria da Silva, 18
Cabeleireira
 
Ouve hip hop e rhythm'n'blues. Revezam-se em seu CD player os discos da dupla francesa de soul Les Nubians e da musa do hip hop Missy Elliott
Lê revistas de moda, estilo e música negra americanas. Curte livros de sociologia e história negra. Está lendo Esmeralda -- Por Que Não Dancei, autobiografia de Esmeralda Ortiz, uma ex-menina de rua viciada em crack
O filme preferido é o brasileiro Cidade de Deus, de Fernando Meirelles
Capricha no visual moderno, sempre usando uma saia e uma camiseta combinadas com botas e tênis bacanas. Não se importa com grifes, mas gosta de jovens estilistas brasileiros, como Caio Gobbi e Andrea Bilinski
A balada preferida é aquela em que rola música black
Tem vários ídolos negros, entre eles a cantora de rhythm'n'blues Jill Scott
Sempre carrega na bolsa creme hidratante, batom, o livro que está lendo, um dicionário de bolso inglês-português e um caderninho para anotar pensamentos e letras de rap que está compondo